Como calcular a quantidade de cimento e materiais para obra?

Todo gestor de obra provavelmente já teve dúvidas em relação à quantidade de cimento e materiais de construção que deveria comprar para a sua obra. Uma quantidade maior que a necessária significa mais despesa e uma quantidade menor pode levar ao atraso da obra e outros problemas.

Mas, então, como fazer o cálculo de cimento, areia, tijolos, tinta, pisos e revestimentos? É justamente sobre isso que queremos falar hoje. Continue acompanhando e aprenda como acertar na quantidade de cimento e materiais de construção para a sua obra! Dúvidas? Solicite um orçamento aqui.

Por que é importante acertar na quantidade de cimento e materiais de construção?

O cálculo de materiais tem grande influência no orçamento da obra. Quando o profissional responsável não tem segurança para fazer o cálculo, acaba colocando uma margem de erro muito grande e comprando a mais. No fim da obra, é provável que exista desperdício de materiais — e de dinheiro.

Quando o contrário acontece, isto é, faltam materiais, as consequências são tão ruins quanto. Primeiro, a obra pode ficar parada e atrasada devido à falta de material. Segundo, corre-se o risco de não encontrar mais o material do modelo ou marca que foi comprado anteriormente.

Portanto, em qualquer obra é importante contar com um arquiteto ou engenheiro que entenda como calcular a quantidade de cimento, tijolos, revestimentos etc.

Quantidade de cimento e materiais para obra: como calcular?

Vamos à prática? Veja como calcular cada um dos principais materiais de uma construção!

Calculando blocos e tijolos

Para blocos e tijolos, tomamos como base a área das paredes a serem erguidas. A área de cada parede é determinada multiplicando seu comprimento pela altura, sem descontar a área de nenhum recorte, como portas e janelas.

Em seguida, calcula-se a área ocupada por cada bloco multiplicando seu comprimento (b1) pela sua altura (b2). Para tornar o cálculo mais preciso, adicionamos a espessura da junta entre as peças (e) no cálculo da área ocupada pelo tijolo ou bloco. A quantidade de tijolos é a razão entre a área da parede e a área ocupada por um bloco com a junta. Por fim, a conta fica assim:

Número de blocos ou tijolos =  Área da parede / (b1+e)×(b2+e)

Recomenda-se adicionar entre 5% e 10% como margem de erro sobre o número encontrado.

Cálculo de cimento e areia

O cálculo de cimento e areia não é fixo, pois ele depende do tipo de cimento e da proporção entre os materiais recomendada pelo fabricante e pelo profissional. Como exemplo, vamos calcular  usando a proporção de 3 partes de areia para cada parte de cimento e considerando 20 litros de areia por metro quadrado (m²) de construção.

Fazendo a proporção temos 20/3 = 6,67 litros de cimento por m². Multiplicando 20 e 6,67 pela área das paredes, você terá as quantidades de cimento e de areias necessárias, dadas em litros.

Agora, basta fazer a conversão nos valores. A areia é vendida por metro cúbico (m³). Para converter de litros para m³ você precisa dividir o valor por 1000. Já para o cimento, o volume em cada saco é informado pelo fabricante. Dividindo o volume total calculado pelo volume contido em cada saco de cimento você encontrará a quantidade de cimento necessária para sua obra.

Volume de tinta

Para a tinta, você deve calcular a área das paredes já descontando as portas e janelas. Depois, multiplique essa área pelo número de mãos de tinta que você vai aplicar.

Por fim, basta consultar o rendimento médio informado na embalagem do produto e realizar a conta. Geralmente, os fabricantes informam, por exemplo, que cada lata de 18 litros cobre 90 m². Considere 5% a 10% a mais para eventuais retoques e correções.

Pisos e revestimentos

Para os pisos e revestimentos, o cálculo segue a mesma lógica dos blocos e tijolos. Divida a área total da parede ou piso a ser revestido pela área de cada bloco e lembre-se de considerar também a espessura das juntas nessa conta.

Porém, aqui, a quantidade de material sobressalente para compensar eventuais perdas e recortes vai depender do tamanho das peças escolhidas. Quanto menor a peça, menor o desperdício. Se o revestimento tiver medidas de até 15 cm, considere 5% a mais. Peças com 30 cm ou mais precisam de, pelo menos, 10% como margem de segurança.

Como evitar desperdício de materiais na obra?

Se feito corretamente, o cálculo de cimento e materiais de construção já vai ajudar a economizar. Para que ele dê certo, porém, é preciso trabalhar na obra com inteligência e pensando em evitar desperdícios. Canteiro de obras organizado, estocagem correta e manuseio apropriado dos materiais são exemplos de boas práticas.

É importante preparar uma quantidade de cimento adequada e que possa ser utilizada em tempo hábil, eliminando as sobras. O transporte dentro do canteiro deve ser realizado com cuidado e os materiais devem ser armazenados em pilhas organizadas para evitar quebras. Por fim, lembramos da importância de adquirir materiais de construção de qualidade.

Deixe um comentário